sábado, 22 de setembro de 2012

22. Depois da ressonância

Olha só, dá para ver até os detalhes!

Estas foram algumas das primeiras palavras de meu médico quando olhou a ressonância. A pressão no cérebro havia diminuído muito, dava para ver detalhes do crânio que antes não apareciam. A ventriculostomia estava funcionando! Eu já sentia isso, agora a ressonância confirmava oficialmente!

Minha vida mudou muito! Tudo estava ficando cada vez melhor! Ainda bem que não desanimei! Ainda bem que fui pesquisar o que significava minha hidrocefalia. Ainda bem que encontrei um médico competente, conhecedor das novas tecnologias, que conhecia a ventriculostomia. Ainda bem que não acreditei nos vários outros neurocirurgiões que consultei! Ainda bem que ouvi meu coração!

Fiquei tão contente com tudo o que estava acontecendo que queria compartilhar meu sucesso. Mais, queria ajudar outras pessoas que estavam passando pela mesma situação que eu havia passado. Este blog foi um dos primeiros caminhos que encontrei. Tomara que eu encontre mais, quero ajudar quem está precisando!

O blog já começou a dar resultados. Se você olhar no alto desta página, bem no canto direito, verá o link A luta de outras pessoas, em que pretendo contar casos de pessoas que entraram em contato comigo. Por enquanto há apenas uma pessoa que conheci - via internet - com um problema excesso de líquor no cérebro. Ainda não a conheço pessoalmente, tomara que algum dia eu a encontre.

Fique à vontade para compartilhar sua história aqui, muitas outras pessoas poderão aproveitar suas experiências.

Encerro por enquanto minha história com este artigo. Estou tão bem, mas tão bem, que não me canso de fazer tudo que sempre tive vontade de fazer e  não estava conseguindo mais.

Tanto é assim que voltei a uma das atividades que mais gostava, andar de bicicleta. E não é que há algum tempo, em plena manhã ensolorada de domingo, estava andando de bicicleta quando a roda da frente ficou presa em um buraco e eu ... CAÍ!

Pois é, caí e quebre o cotovelo em seis pedaços. Dá para acreditar? Fui direto para o pronto-socorro, dali para um quarto de hospital, depois para uma cirurgia - DE NOVO - colocar uma placa e vários parafuros no braço!


Cotovelo quebrado em seis lugares! Duas placas e oito parafusos implantados!
 Coisas de quem vive bem a vida. Acidentes acontecem! Estou agora justamente vivendo a fase de consolidação de meu braço - mais especificamente - do cotovelo. São três a quatro meses sem dirigir um carro. E vai saber quanto tempo sem andar de bicicleta!

Quer saber? Estou é muito feliz! Mesmo com o cotovelo querbrado. Muito melhor ter um acidente vivendo bem a vida do que trancado em casa sofrendo uma hidrocefalia mal resolvida.

Obrigado a todos que leram meus artigos até aqui. Um abraço grande!

16 comentários:

  1. Que vitória!!! Parabéns! Sonho com essa vitória para minha filha.

    ResponderExcluir
  2. O otimismo é parte importante para o sucesso de uma luta. Li toda a sua história. Parabéns! Meu nome é Nancy, moro no Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nancy. Que bom ler seu comentário, ver você comentando sobre luta e otimismo. Lutar, e lutar com otimismo, é sempre uma excelente alternativa para resolvermos os problemas que aparecem. Obrigado, Fernando!

      Excluir
  3. Demais sua história...amei cada detalhe!
    Olá Fernando, meu nome é Suelen e vou fazer essa cirurgia daqui alguns dias, estava tao ansiosa que resolvi novamente, procurar algo no Drº Google, kkk, imagina acabei achando seu blog. Passei por coisas muito parecidas e sei como se sentiu, mas fiquei imensamente contente com seu final feliz!
    Parabéns, se Deus quiser daqui alguns dias, volto aqui e te conto como foi!!!
    Obrigada por compartilhar e até!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suelen. Você já fez a cirurgia? Se sim, como foi? Se não, e se você quiser conversar mais - eu quero :-) - estou a sua disposição. Se você preferir, envie e-mail para ferandrade84@hotmail.com para conversarmos fora do blog. Um abraço grande!

      Excluir
  4. Olá Fernando, lí toda sua história, muito bem colocada por sinal, minha filhinha nasceu dia 16/042014 e sábado dia 26/04/2014 foi diagnosticada com hidrocefalia, o médico disse q a principio não vai fazer a cirurgia para colocação da válvula, mas posteriormente será a opção que ELE julgou mais prudente, desde sabado tenho engolido tudo que é artigo sobre hidrocefalia, gostaria de uma outra opinião e achei muito interessante esse procedimento chamado de ventriculostomia. Estou desesperado, por favor me ajude, minha filhinha ainda esta internada na UTI Neonatal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciano, fico angustiado com o caso de sua filhinha, farei de tudo para ajudar. O médico que fez minha ventriculostomia também já fez o procedimento em várias crianças. Nem sempre este é o procedimento mais adequado, tudo depende do motivo da hidrocefalia - por exemplo, o local de uma possível obstrução. De qualquer forma, é melhor entrar em contato com ele. Onde você está? Meu médico fica em São Paulo. Se você quiser convversar diretamente comigo, meu e-mail é ferandradde84@hotmal.com. Envie um e-mail com seu telefone e entro em contato para conversarmos por voz, é mais fácil. Boa sorte e muita força!

      Excluir
    2. Tentei Mandar email porém voltou, vou passar os detalhes por aqui
      Antes de mais nada, gostaria de agradecer, por compartilhar sua história tão rica em detalhes, que nos faz ter esperança que tudo vai ficar bem com a nossa pequena Luana!

      Bom, tudo ainda é muito recente, ela está internada na UTI Neonatal do Hospital Salvalus no bairro do Brás.
      Sabado durante a visita a medica nos informou que ela foi diagnosticada com hidrocefalia, a causa provável teria sido uma hemorragia intra-uterina, não acreditei muito pois em todos os ultrasons que fizemos, estava tudo dentro da normalidade e não foi diagnosticada hidrocefalia, ficamos em choque choramos muito, minha mãe quase teve um infarto.
      Pórém passado o susto entrei na internet e comecei a pesquisar sobre a doença e percebi que nem tudo estava perdido e que minha pequena poderia sim ter uma vida normal, mesmo com a hidrocefalia.
      No outro dia na visita da UTI neonatal, a médica me informou, que eles estão medindo a cabecinha dela diariamente e que por enquanto, não esta tendo evolução, ou seja, o diâmetro da cabeça não tem alteração e estão esperando para ver se o canal volta a se comunicar e normalizar. Porém apenas me disseram que se for necessário será colocada a valvula com o cateter na cabecinha dela e que ela teria que fazer algumas cirurgias para adaptação durante a vida.
      Bom como um pouco teimoso pensei, nossa mais um problema que parece ser relativamente simples, um problema de drenagem, não poderia ter uma solução definitiva? A medicina está tão avançada, não acredito que seja possivel ter apenas uma opção.
      Foi quando comecei a ler sobre a ventriculostomia e cheguei ao seu blog.
      quero fazer as seguintes perguntas ao médico Neuro
      A hemorragia foi no canal intraventricular e em qual desses canais?
      Se eles somente fazem um tipo de cirurgia.

      Espero que com a ressonância eles possam me dar mais detalhes para definir o melhor tratamento para minha filha, pois quanto mais rápido for resolvido, menores serão as sequelas dela.

      Gostaria que me ajudasse na abordagem que terei q fazer ao médico.

      Por enquanto estou confiante que o liquor volte a fluir normalmente na cabeça da minha pequena, assim como alguns médicos tbm estão esperando.
      Meu e-mail é enterlan-1@hotmail.com
      Muito Obrigado pela força

      Excluir
    3. Luciano, entrarei em contato com você em seguida através de seu e-mail. Passarei meus dados para uma conversa mais detalhada.

      Excluir
  5. Oi Fernando meu namorado foi diagnosticado com hidrocefalia, o neurologista falou que precisa colocar a valvula,mas vai passar em consulta com o neurocirurgiao essa semana. Estou tranquila e ao mesmo preocupada, gostaria de conversar com vc por email, anota ai: ciclorama@bol.com.br. Aguardo seu contato.
    Att.
    Tatiane

    ResponderExcluir
  6. Tatiane,

    Notícias como estas sempre nos pegam de surpresa. Já enviei e-mail à você, fique à vontade para trocar ideias comigo.

    Um abraço,

    Fernando

    ResponderExcluir
  7. Ola Fernando, tenho um filho de 5 anos Francisco que fez a ventriculostomia no dia 08/11, lendo sua história me passou um filme na minha cabeça, pois vivi muitas coisas parecidas, hoje com menos de 1 semana ele esta super bem e nem parece que fez a cirurgia, mas confesso que entrei em pânico várias vezes, mas graças a Deus o pesadelo passou...abraços Michele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michele,

      Que boa notícia esta de seu filho. Claro que o pânico foi natural, afinal foi uma cirurgia na cabeça e de seu filho de apenas 5 anos. O bom é que deu tudo certo. PARABÉNS!

      Excluir
  8. Fernando, parabéns pelo blog. Obrigado por compartilhar seu relato.
    Fiquei eu dúvida com uma coisa que me interessa: No post de 05/08/2012 você afirmou já ter sentido a diferença logo no dia seguinte à cirurgia. Entendi isso mais como uma impressão do que uma constatação. Em outro post (de 02/09/2012), você fala sobre voltar a caminhar direito, e fala que o caminhar foi melhorando aos poucos.
    Como não sei se os posts foram publicados quase em "tempo real" ou se é um grande relato particionado após todos os fatos terem ocorrido, poderia me informar quanto tempo após a cirurgia se passou para você voltar a andar normalmente após a cirurgia?
    Pergunto isso pois minha mãe passou pela cirurgia de terceiro-ventriculostomia há 4 dias e não conseguimos perceber qualquer melhora até agora, nem em relação ao caminhar, nem em relação ao funcionamento da cabeça.
    Sei que cada hidrocefalia é um quadro diferente, mas de qualquer forma gostaria de saber: quanto tempo demorou sua recuperação? E como estava 5 dias após a cirurgia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Leonardo. Por algum motivo não recebi aviso sobre sua pergunta no blog e só hoje a encontrei.

      Como está sua mãe?

      Embora eu tivesse ainda problemas de equilíbrio nos dias seguintes à cirurgia, não sentia mais dificuldade para andar. Antes, caminhar, mexer as pernas, era muito difícil, elas pareciam pesadas. A cirurgia fez um verdadeiro milagre, voltei a andar como nunca mais pensei que pudesse.

      Por favor, dê notícias de sua mãe.

      Um abraço.

      Excluir
    2. Obrigado por compartilhar sua experiência. Em que pese as informações preliminares da Neurologista que atende minha irmã, serem otimistas e tranquilizadores, seu BLOG me deu a real dimensão do que enfrentaremos, eu, ela e nossos parentes, na busca da cura desta doença, que se apresentou, inicialmente, lenta e insidiosa e, de repente, avassaladora, e limitando terrivelmente seus movimentos e afazeres mais simples. Que Deus a projeta, nos guie na escolha dos médicos que cuidarão dela, que Deus te abençoe e mais uma vez muito obrigado.

      Excluir